terça-feira, 22 de julho de 2014

DECLARAÇÃO DOUTRINÁRIA PARA CONCÍLIO PASTORAL 
DE CLEITON SOUZA 
1 BIBLIOLOGIA
 CREIO que a Bíblia Sagrada foi escrita por homens, sobrenaturalmente inspirados e que contém a verdade sem qualquer erro em seu conteúdo. E, portanto é, e permanecerá até o fim dos séculos como a única revelação completa e final de Deus ao homem; o verdadeiro centro de união cristã e o padrão supremo pelo qual toda a conduta humana, credos e opiniões deverão ser aferidos. Por Bíblia Sagrada quero dizer aquela coleção de sessenta e seis livros, de Gênesis a Apocalipse, a qual, originalmente escrita, não só contém e transmite a Palavra de Deus mas, é a própria Palavra de Deus. Por inspiração, quero dizer que os livros da Bíblia foram escritos por homens santos da antiguidade, conforme foram movidos pelo Espírito Santo e de um modo tão definitivo que os seus escritos foram sobrenatural e verbalmente inspirados, livres de erro, como nenhum outro foi ou jamais será inspirado. 2 Tm. 3:16-17; II Pe. 1:19-21; At 1:16; At. 28:25; Sl. 119:160; Sl. 119:105; Sl. 119:130; Lc. 24:25-27; Jo. 17:17; Lc. 24:44-45; Sl. 119:89; Pv. 30:5-6; Rm. 3:4; I Pe. 1:23; Ap. 22:19; Jo. 12:48; Is. 8:20; Ef. 6:17; Rm. 15:4; Lc. 16:31; Sl. 19:7-11; Jo. 5:45-47; Jo. 5:39.
  2 DOUTRINA DE DEUS
 CREIO que há um só Deus, vivo e verdadeiro; um Espírito inteligente, Criador e supremo governador do céu e da terra; expressivamente glorioso em santidade, digno de toda honra confiança e amor; que na unidade Divina há três pessoas, Pai; Filho e Espírito Santo, iguais em toda perfeição divina e execução de ofícios distintos, mas harmoniosos na grande obra da redenção. Ex. 20:2-3; Gn. 17:1; 1 Co. 8:6; Ef. 4:6; Jo. 4:24; Sl. 147:5; Sl. 83:18; Sl. 90:2; Jr. 10:10; Ex. 15:11; Ap. 4:11; 1 Tm. 1:17; Rm. 11:33; Mc. 12:30; Mt. 28:19; Jo. 15:26; 1 Co. 12:4-6; 1 João 5:7; Jo. 10:30; João 17:5; 1 Cor 2:10-11; Fp. 2:5-6; Ef. 2:18; 2 Co. 13:14.

A TRINDADE creio que Neste ser divino e infinito há três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo de uma mesma substância, igual poder e eternidade, possuindo cada uma inteira essência divina, que é indivisível. O Pai, de ninguém é gerado ou procedente; o Filho é gerado eternamente do Pai; o Espírito Santo procede do Pai e do Filho, eternamente; todos infinitos e sem princípio de existência. Portanto, um só Deus; que não deve ser divido em seu ser ou natureza, mas, sim, distinguido pelas diversas propriedades peculiares e relativas, e relações pessoais. Essa doutrina da Trindade é o fundamento de toda a nossa comunhão com Deus e confortável dependência dEle.
 I João 5:7; Mateus 28:19; II Coríntios 13:14. Êxodo 3:14; João 14:11; I Coríntios 8:6. João 1:14,18. João 15:26; Gálatas 4:6.

3 CRISTOLOGIA
Creio que Jesus Cristo foi gerado do Espírito Santo, de uma maneira milagrosa; nascido de Maria, uma virgem, como nenhum homem jamais nasceu de mulher, e que Ele tanto é o Filho de Deus como é Filho do homem. Gn. 3:15; Is. 7:14; Mt. 1;18-25; Lc. 1:35; Mc. 1:1; Jo. 1:14; Sl. 2:7; Gl. 4:4; 1 Jo. 5:20; 1 Co. 15:47.Ele é a expressão exata do ser de Deus sendo a perfeita imago Dei e a revelação em si (Hb 1:1-4), pois Deus falou antes de diversas formas aos seres humanos mas na plenitude dos tempos nos falou pessoalmente na pessoa do Filho de Deus, Jesus Cristo, o messias esperado, conforme as profecias. Em Jesus existe toda a divindade (Cl 2:9) porque por ele, por meio dele e para ele foram criadas todas as coisas (Rm 11:36; Cl 1:16), ele estava no principio com Deus e era Deus, ele é o verdadeiro Deus e a vida eterna (João 1:1). Ele é a prova cabal do amor do Pai pelo ser humano (Rm 5:8). As Escrituras tratam da vida eterna e essa vida eterna é Jesus (João 5:39). Mais do que simplesmente um messias da linhagem de Davi, Jesus Cristo é o Filho do Homem, para ele o céu se abre e anjos o servem. Ele tem todo poder na terra e no céu e é o cabeça da Igreja, a qual é o seu corpo pelo seu espírito e pelo seu sangue derramado. Ele redimiu o mundo pelo seu sacrifício na cruz e agora salva a dos aqueles que com fé em sua graça o buscam para ser o SENHOR de suas vidas. Os evangelhos todos são referencias bíblicas sobre Jesus nele temos a sua história humana, o seu ministério, morte e ressurreição. O seu nome é Deus conosco (Mt 1:21), por isso temos firmes a sua promessa de que ele sempre está conosco pelo seu espírito, que é o amor do Pai derramado em nossos corações, sabe-se que alguém é Dele pelo espírito que nos tem dado, e se alguém não esse Espírito esse não pode ser Dele (Rm 8:9). Ele morreu para que essa promessa do espírito se cumprisse em nós. Assim, somos um com Cristo de uma tal maneira que não podemos tomar os membros de Cristo e úni-los a uma prostituta.(Is. 7:14; Mt. 28:6; I Pe. 2:22; Jo. 1:1; At. 15:16; Jo. 14:3; I Pe. 3:18; Mt. 1:18-25; I Ts. 4:16; II Ts. 2:6-8).
4 PNEUMATOLOGIA
 Creio que o Espírito Santo é uma pessoa divina, igual a Deus, o Pai, e a Deus,
o Filho, e da mesma natureza que Ele restringe o Mal até que se cumpra o
propósito de Deus; que Ele convence do pecado, da justiça e do juízo; que Ele
dá testemunho da Verdade do Evangelho na pregação e na confirmação; que
Ele sela, adota, guia, ensina, testifica, santifica e auxilia o crente (João 14:16-
17; Mateus 28:19; Hebreus 9:14; Atos 5:30-32; Romanos 8:16).
Ele é O consolador (João 14:16) é aquele que nos faz lembrar de tudo o que Jesus têm dito e nos revela o que ele deixou para dizer (João 14:26). Ele é quem fala em nós de tal maneira que não temos que nos preocupar quando estamos na presença de reis e príncipes (João 15:26; Lc 21:14-15). Ele é quem nos dá a mente de Cristo (1 Co 2:16) e que nos ilumina nos guiando a toda a verdade e revelações de Deus que estão em sua bíblia, ele é o poder de Deus para sermos testemunhas e cumprirmos com nosso missão como se deve cumprir (At 1:8 Ele é quem dá dons e os distribui assim como quer. Ele é quem intercede por nós na fraqueza e com gemidos inexprimíveis (Rm 8:26-27). Ele é quem transporta de um lado para outro (At 8:39), dá visões, sonhos e etc.
Ele é quem nos capacita a amar como Jesus amou pois ele é o amor do Pai derramado em nossos corações (Rm 5:5), Deus é o Espírito. Heb. 2:3-4; I Cor. 13:8-13; I Cor. 12:12-13; Jo. 14:16-17; Mt. 28:19; Hb. 9:14; Jo. 14:26; Lc. 1:35; Gn. 1:1-3; 2 Ts. 2:7; Jo. 16:8-11; Jo. 15:26-27; At. 5:30-32; Jo. 3:5-6; Ef. 1:13-14; Mt. 3:11; Mc. 1:8; Lc. 3:16; Jo. 1:33; At. 11:16; Lc. 24:49; Jo. 16:13; Rm. 8:14; Rm. 8:16; 2 Ts. 2:13; 1 Pe. 1:2; Rm. 8:26-27.
 5 ANGEOLOGIA – DOUTRINA SOBRE OS ANJOS
Creio que Os anjos são seres espirituais poderosos, criados por Deus para glorificá-lo e cumprir suas ordens Tais seres têm como uma de suas funções ministrar em prol dos crentes (Sabe-se que todos esses seres foram criados santos por Deus Porém, há indícios na Escrituraque, na pré-criação, um número deles se rebelou e, sendo agora chamados de demônios, foram confirmados na maldade enquanto os que guardaram seu estado original, também chamados de anjos eleitos, foram confirmados em bondade Não há esperança de arrependimento para os demônios), nem possibilidade de queda para os anjos bons, havendo um lugar fixo para as duas categorias no plano de Deus para o futuro (Mt 25.31; Mc 8.38; 1 Co 6.3; Ap 12.7-9). (Sl 103.20;Is 6.2-3). Lc 16.22; Hb 1.13-14). (Jó 38.4-7). (2 Pe 2.4; Jd 6), (Hb 2.16 (1 Tm 5.21).
CREIO que Satanás foi uma vez santo e desfrutou das honras celestiais, mas, por causa do orgulho e da ambição de ser como o Todo Poderoso, caiu e arrastou uma hoste de anjos; é agora o príncipe maligno do poder do ar e o deus ímpio deste mundo. Sustentamos ser ele o grande tentador do homem, o inimigo de Deus e do Seu Cristo, o acusador dos santos, o autor de todas as religiões falsas, o poder principal por detrás da presente apostasia, o senhor do anti-cristo e o autor de todas as forças das trevas – destinado; contudo, à derrota final nas mãos do Filho de Deus e ao juízo de uma justiça eterna no inferno, lugar preparado para ele e seus anjos. Is. 14:12-15; Ez. 28:14-17; Ap. 12:9; Judas 6; 2 Pe. 2:4; Ef. 2:2; Jo. 14:30; I Ts. 3:5; Mt. 4:1-3; 1 Pe. 5:8; 1 Jo. 3:8; Mt. 13:39; Lc. 22:3-4; Ap. 12:10; 2 Co. 11:13-15; Mc. 13:21-22; I Jo. 4:3; 2 Jo. 7; 1 Jo. 2:22; Ap. 13:13-14; 2 Ts. 2:8-11; Ap. 19:11,16,20; Ap. 12:7-9; Ap. 20:1-3; Ap. 20:10; Mt. 25:41.
6 ANTROPOLOGIA
Creio que  O ser humano é a criação suprema de Deus na terra e assim como todo o resto da criação foi criado para que Deus fosse glorificado nele (Is 43:7). criado á imagem e semelhança do seu próprio criador, o Deus único e soberano (Gn 1:26-27),
CREIO no relato da criação que se encontra no livro de Gênesis e que deve ser aceito literalmente, e não alegórica ou figuradamente; que a criação do homem não foi matéria da evolução ou mudança evolutiva das espécies, ou do desenvolvimento através de intermináveis períodos de tempos, de formas mais baixas para superiores; que toda a vida animal e vegetal foram feitas diretamente pela lei estabelecida de Deus para que produzissem “Seg undo sua espécie”. Gn. 1:1; Ex. 20:11; At. 4:24; Cl. 1:16-17; Hb. 11:3; Jo. 1:3; Ap. 10:6; Rm. 1:20; At. 17:23-26; Jr. 10:12; Ne. 9:6; Gn. 1:26-27; Gn. 2:21-23; Gn. 1:11; Gn. 1:24.
A Queda CREIO que o homem foi criado em inocência, sob a lei do seu Criador, mas por transgressões voluntárias caiu do seu estado impoluto e feliz, em conseqüência do que, toda a espécie humana é agora pecadora, não por escolha, portanto, sob justa condenação sem defesa ou desculpa. Gn. 3:1-6,24; Rm. 5:12; Rm. 5:19; Rm. 3:10-19; Ef. 2:1,3; Rm. 1:18; Ez. 18.19-20; Rm. 1:32; Rm. 1:20; Rm. 1:28; Gl. 3:22.
creio que, para serem salvos, os homem  devem nascer de novo. O novo nascimento é uma nova criação em Cristo Jesus; que é instantâneo e não um processo; que no novo nascimento o morto em delitos e pecados é feito participante da natureza divina e recebe a compreensão, não pela educação cultural, pelo caráter, nem pela vontade do homem, mas inteira e unicamente pelo poder do Espírito Santo em conexão com a verdade divina, de modo a garantir nossa obediência.. Jo. 3:3; 2 Co. 5:17; Lc. 5:27; 1 Jo. 5:1; Jo. 3:6-7; At. 2:41; 2 Pe. 1:4; Rm. 6:23; Ef. 2:1; 2 Co. 5:19, Cl. 2:13; Jo. 1:12-13; Gl. 5:22; Ef. 5:9.
7 HAMATOLOGIA
Creio que No princípio o homem vivia em estado de inocência e mantinha perfeita comunhão com Deus. Mas, cedendo à tentação de Satanás, num ato desobediência contra seu Criador, o homem caiu no pecado e assim perdeu a comunhão com Deus e dele ficou separado. Em consequência da queda de nossos primeiros pais, todos somos, por natureza, pecadores e inclinados à prática do mal. Todo pecado é cometido contra Deus, sua pessoa, sua vontade e sua lei. Mas o mal praticado pelo homem atinge também o seu próximo. O pecado maior consiste em não crer na pessoa de Jesus Cristo, o Filho de Deus, como salvador pessoal. Como resultado do pecado, da incredulidade e da desobediência do homem contra Deus, ele está sujeito à morte e à condenação eterna, Separado de Deus, o homem é absolutamente incapaz de salvar-se a si mesmo e assim depende da graça de Deus para ser salvo.
Gn 2.15-17; 3.8-10; Ec 7.29 Gn 3; Rm 5.12-19; Ef 2.12; Rm 3.23
Gn 3.12; Rm 5.12; Sl 51.15; Is 53.6; Jr 17.5; Rm 1.18-27; 3.10-19; 7.14-25; Gl 3.22; Ef 2.1-3
 Sl 51.4; Mt 6.14; Rm 8.7-22 Mt 6.14,15; 18.21-35; 1Co 8.12; Tg 5.16
 Jo 3.36; 16.9; 1Jo 5.10-12 Rm 5.12-19; 6.23; Ef 2.5; Gn 3.18; Rm 8.22 Rm 3.20; Gl 3.10,11; Ef 2.8,9
8 SOTERIOLOGIA
creio que a Salvação dos pecados é inteiramente de graça; através dos ofícios mediatórios do Filho de Deus, o qual, pela indicação do Pai, tomou livremente sobre ele nossa natureza, todavia sem pecado, honrou a lei divina pela Sua obediência e por Sua morte fez pelos nossos pecados um sacrifício completo; que o Seu sacrifício não consistiu apenas em apresentar-nos um exemplo por Sua morte como um mártir, mas foi a substituição voluntária dEle mesmo em lugar do pecador, do injusto pelo justo, Cristo, o Senhor, levando nossos pecados no madeiro no Seu próprio corpo; que, tendo ressurgido dos mortos, está agora entronizado no céu, Ef. 2:8; At. 15:11; Rm. 3:24; Jo. 3:16; Mt. 18:11; Fp. 2:7; Hb. 2:14; Is. 53:4-7; Rm. 3:25; 1 Jo. 4:10; 1 Co. 15:3; 2 Co. 5:21; Jo. 10:18; Fp. 2:8; Gl. 1:4; 1 Pe. 2:24; 1 Pe. 3:18; Is. 53:11; Hb. 12:2; 1 Co. 15:20; Is. 53:12; Hb. 9:12-15; Hb. 7:25; I Jo. 2:2.
Sendo essa obra redentora realizada pelo próprio Deus o ser humano não tem parte ativa nenhuma em sua salvação, ele é salvo de graça (Ef 2:8-10), mas essa graça custou o sangue do cordeiro.
Os diversos benefícios da salvação alcançados por Cristo são aplicados aos pecadores salvos por  Deus. Portanto, enfatizo uma sequência lógica, não cronológica, dos elementos da salvação. São eles:

1.Eleição: Deus, em sua soberania e presciência, escolhe, antes da fundação do mundo, aqueles pecadores que seriam salvos pela graça.

Creio que Eleição é a escolha feita por Deus, em Cristo, desde a eternidade, de pessoas para a vida eterna, não por qualquer mérito, mas segundo a riqueza da sua graça Antes da criação do mundo, Deus, no exercício da sua soberania divina e à luz de sua presciência de todas as coisas, elegeu, chamou, predestinou, justificou e glorificou aqueles que, que há de salvar  (Jo 1.12-13, 6.44-45, 15.16; 1Co 1.28-29; Ef 1.3-4 e 11). Gên. 12:1-3; Êx. 19:5,6; Ez. 36:22,23,32; I Ped. 1:2; Rom. 9:22-24; I Tess. 1:4

2. Chamado: Deus, pela proclamação da Palavra, chama aqueles que Ele mesmo escolheu, e estes respondem com fé salvadora,
   Creio  que o próprio Deus gera no coração do homem. O desejo  da salvação e o   Espírito Santo chama para a salvação através do Evangelho (At 13.48; Rm 8.28-30; 2Ts 2.13-14; Tg 1.18;; 1Co 2.12; 2Tm 1.9-10). O chamado do Espírito é irresistível (Jo 6.37; At 26.18; 2Co 4.6; Ez 36.26).

3.Regeneração: Deus aplica o novo nascimento, ou seja, concede vida ao que foi chamado, que outrora estava morto em seus delitos e pecados.
  Creio na regeneração sendo o ato inicial da salvação em que Deus faz nascer de novo o pecador perdido, dele fazendo uma nova criatura em Cristo. É obra do Espírito Santo em que o pecador recebe o perdão, a justificação, a adoção como filho de Deus, a vida eterna e o dom do Espírito Santo. Nesse ato o novo crente é batizado no Espírito Santo, é por ele selado para o dia da redenção final, e é liberto do castigo eterno dos seus pecados Há duas condições para o pecador ser regenerado; arrependimento e fé. O arrependimento implica em mudança radical do homem interior, por força do que ele se afasta do pecado e se volta para Deus. A fé é a confiança e aceitação de Jesus Cristo como Salvador e a total entrega da personalidade a ele por parte do pecador Nessa experiência de conversão o homem perdido é reconciliado com Deus, que lhe concede perdão, justiça e paz
Deut. 30:6; Ez. 36:26; João 3:3-5; I Ped. 1:3; Tiago 1:18; I Cor. 5:17; Ef. 4:20-24
Tito 3:5; Rom. 8:2; João 1:11-13; Ef. 4:32; At. 11:17
II Cor. 1:21,22; Ef. 4:30; Rom. 8:1; 6:22


4. Conversão: Deus move nosso coração e mente para responder positivamente ao chamado do evangelho, arrependendo-nos dos pecados e colocando nossa fé em Cristo.
 Creio que Este arrependimento salvador é uma graça evangélica, por intermédio da qual a pessoa, por obra do Espírito Santo, é levada a sentir os múltiplos males do seu pecado, e, com fé em Cristo, humilha-se por causa do pecado, com uma tristeza santa, ódio ao pecado e repugnância a si mesma, orando por perdão e fortalecimento na graça, com o propósito e o empenho de caminhar diante de Deus de um modo agradável com o auxílio do Espírito Santo.
Zacarias 12:10; Atos 11:18.,Ezequiel 36:31; II Coríntios 7:11.,Salmo 119:6,128.

5. Justificação: Deus nos declara justos, perdoando os nossos pecados e imputando a justiça de Cristo a nós.
   Creio que a grande benção do evangelho, é que Cristo garante aos que nEle  crêem é a justificação; a justificação inclui o perdão do pecado e o dom da vida eterna sobre princípios de justiça; que é dispensado não em consideração a quaisquer obras da justiça que houvéssemos feito, senão unicamente por meio da fé no sangue do Redentor, a nós imputados por sua justiça. At. 13:39; Is. 53:11; Zc. 13:1; Rm. 8:1; Rm. 5:9; Rm. 5:1; Tt. 3:5-7; Rm. 1:17; Hb. 2:4; Gl. 3:11; Rm. 4:1-8; Hb. 10:38.

6. Adoção: Deus nos adota como filhos, nos tornando membros de sua família. Agora não mais escravos de satanás, mas filhos de Deus.
  Creio na adoção sendo  que Em seu único Filho, Jesus Cristo, e, por causa dEle, Deus é servido fazer participantes da graça da adoção todos quantos são justificados.1 Por essa graça eles são recebidos no número dos filhos de Deus,2 e desfrutam das liberdades e privilégios dessa condição; recebem sobre si o nome de Deus;3 recebem o espírito de adoção;4têm acesso com ousadia ao trono de graça, e clamam Aba, Pai;5 recebem compaixão,6 proteção,7 e a provisão de suas necessidades.8 E são castigados por Deus, como por um pai;9 porém, jamais são lançados fora,10 pois estão selados para o dia da redenção.11 E herdam as promessas, na qualidade de herdeiros da salvação eterna.12
Efésios 1:5; Gálatas 4:4-5.,João 1:12; Romanos 8:17., II Coríntios 6:18; Apocalipse 3:12.  Romanos 8:15., Gálatas 4:6; Efésios 2:18.,Salmo 103:13.,Provérbios 14:26., I Pedro 5:7.,Hebreus 12:6, Isaías 54:8-9; Lamentações 3:31., Efésios 4:30, Hebreus 1:14; Hebreus 6:12.
7. Santificação: Deus, a cada dia vai nos tornando mais santos, conforme a imagem de Jesus Cristo, a medida que renunciamos o pecado. É um trabalho de Deus, mas que nós temos nossa responsabilidade também.
  Creio que A santificação é o processo que, principiando na regeneração, leva o homem à realização dos propósitos de Deus para a sua vida e o habilita a progredir em busca da perfeição moral e espiritual de Jesus Cristo, mediante a presença e o poder do Espírito Santo que nele habita (1). Ela ocorre na medida da dedicação do crente e se manifesta através de um caráter marcado pela presença e pelo fruto do Espírito, bem como por uma vida de testemunho fiel e serviço consagrado a Deus e ao próximo
João 17:17; I Tess. 4:3; 5:23; 4:7 Prov. 4:18; Rom. 12:1,2; Fil. 2:12,13; II Cor. 7:1; 3:18; Heb. 12:14; Rom. 6:19; Gál. 5:22; Fil. 1:9-11


8. Perseverança: Deus é que vai nos sustentar durante nossa caminhada aqui na terra. Todos aqueles que foram regenerados e justificados por Deus, irão perseverar até o fim de suas vidas. .
Creio que Mediante Cristo, no pacto da graça, Deus fez provisão completa para que os crentes sejam preservados na salvação. Assim como não existe pecado tão pequeno que não mereça a condenação eterna, não existe pecado tão grande que possa trazer condenação sobre os que se arrependem.. sendo a   salvação do crente é eterna. Os salvos perseveram em Cristo e estão guardados pelo poder de Deus Nenhuma força ou circunstância tem poder para separar o crente do amor de Deus em Cristo Jesus O novo nascimento, o perdão, a justificação, a adoção como filhos de Deus, a eleição e o dom do Espírito Santo asseguram aos salvos a permanência na graça da salvação
Romanos 6:23. Isaías 1:16-18; Isaías 55:7. João 3:16,36; João 10:28,29; I João 2:19Mat. 24:13; Rom. 8:35-39; I João 2:27-29; Jer. 32:40João 10:28; Rom. 8:35-39; Jud. 24; Ef. 4:30
9. Glorificação: Deus finalmente vai remover todo vestígio e traços do pecado que ainda permanece em nós, e vai nos dar um corpo glorificado, ressurreto.
Creio nA glorificação sendo o  ponto culminante da obra da salvação É o estado final, permanente, da felicidade dos que são redimidos pelo sangue de Cristo
Rom. 8:30; II Ped.1:10,11; I João 3:2; Fil. 3:12; Heb. 6:11 I Cor. 13:12; I Tess. 2:12; Apoc. 21:3,4
10  Gratuidade Da Salvação.
Creio  que as bênçãos da salvação são dadas de graça a todos pelo evangelho; é dever imediato de todos aceitá-las, por uma fé cordial, penitente e obediente; que não impede a salvação do maior pecador na terra, senão, por sua depravação inerente e rejeição voluntária do evangelho, que o envolve numa condenação agravada. 1 Ts. 1:4; Cl. 3:12; 1 Pe. 1:2; Tt. 1:1; Rm. 8:29-30; Mt. 11:28; Is. 55:1; Ap. 22:17; Rm. 10:13; Jo. 6:37; Is. 55:6; At. 2:38; Is. 55:7; Jo. 3:15-16; 1 Tm. 1:15; 1 Co. 15:10; Ef. 2:4-5; Jo. 5:40; Jo. 3:18; Jo. 3:36.
É Deus quem escolhe, chama, regenera, converte, justifica, adota como filhos, santifica, sustenta em nossa caminhada e nos glorifica. A Salvação é obra totalmente de Deus. É graça, favor imerecido. É Deus quem toma a iniciativa, é Deus quem vem ao nosso encontro, e é Deus quem sustenta nossa vida até o fim.
9 ECLESIOLOGIA
Creio que a Igreja de Cristo é uma congregação de crentes batizados e
associados num concerto de fé e comunhão do Evangelho, observando as
ordenanças de Cristo, governada por Suas leis, exercendo os dons, direitos e
privilégios neles pela Sua Palavra; que os seus oficiais são pastores e diáconos
cujas qualificações, pretensões e deveres são claramente definidos nas
Escrituras; cremos que a verdadeira missão da Igreja se acha na Grande
Comissão: primeiro, fazer discípulos individuais, segundo, batizar os
convertidos (edificar a Igreja), terceiro, ensinar e instruir como Cristo ordenou.
Não cremos na inversão desta ordem. Sustentamos que a Igreja local tem o
direito absoluto de auto-governo, livre da interferência de qualquer hierarquia
de indivíduos ou organizações; que o único e só superintendente é Cristo por
meio do Espírito Santo. Cremos que é espiritual e biblicamente correto para as
Igrejas da mesma fé e ordem cooperarem na luta pela fé e adiantamento do
Evangelho; que cada Igreja é o só e único juiz da medida e método de sua
cooperação, em todos os assuntos de comunidade, de diplomacia, de governo,
de disciplina, de benevolência; a vontade da igreja local é final
 (At 2:41,42; 1Cr 12:28; 1Tim 3:1-7;8-13; Mt28:19,20; Ef5:23,24;Mt 16:18
10 O BATISMO E A CEIA  D DO SENHOR
Creio  que o batismo cristão é a imersão de um crente na água, em o nome do
Pai, do Filho e do Espírito Santo, com a autoridade da Igreja local, a exigir um
emblema solene e belo de sua fé no Salvador crucificado, sepultado e
ressuscitado, com seus efeitos em nossa morte para o pecado e ressurreição para
uma nova vida, isso pré-requisito aos privilégios de uma Igreja em relação, e a
Ceia do Senhor, na qual os membros da Igreja local, pelo uso sagrado do pão e
do vinho são para comemorarem juntos o amor de
Cristo, precedido sempre de solene auto-exame (Atos 8:36-39; 2:41,42; Mateus
3:6; 28:19; Romanos 6:3-5; 1 Coríntios 11:23-28)
 11 EVANGELIZAÇÃO E MISSÕES
Crio ser tarefa  do povo de Deus é a evangelização do mundo, visando a reconciliação do homem com Deus. É dever de todo discípulo de Jesus Cristo e de todas as igrejas proclamar, pelo exemplo e pelas palavras, a realidade do evangelho, procurando fazer novos discípulos de Jesus Cristo em todas as Nações, cabendo às igrejas batizá-los e ensiná-los a observar todas as coisas que Jesus ordenou. A responsabilidade da evangelização estende-se até aos confins da terra e por isso as igrejas devem promover a obra de missões, rogando sempre ao Senhor que envie obreiros para a sua seara.
1.       Mat. 28:19,20; João 17:30; At. 1:8; 13:2,3

12 A GRAÇA DE DAR ( DIZIMO)

Creio no dizimo na  graça de dar, é um dos fundamentos bíblicos da fé. Somos mandados a trazer nossos dízimos e ofertas ao tesouro comum da Igreja local, É sob a graça que nós damos (2 Cor 8:7;1 Cor 16:2; Hb 7:2-4; Mt 23:23; Lc 6:38; Mt 6:33; Lt 27:30; Ml 3:10).
13 GOVERNO CIVIL
Creio que de acordo com o ensino das Escrituras, que o governo civil é ordenado por Deus para os interesses e a boa ordem da sociedade humana; que devemos orar pelos magistrados, honrá-los e obedecê-los, salvo naquilo que for contra os ensinos das Santas Escrituras. Cremos na separação completa e absoluta entre o governo civil e a igreja local (Rm. 13:1-7; I Tm. 2:1-3; I Pe. 2:13-14).
14 DONS DO ESPIRITO SANTO
Creio Deus  distribuiu dons aos Seus servos através da soberana vontade do Espírito Santo para a edificação, aperfeiçoamento e unidade do corpo de Cristo Creio  que os dons de falar em outras línguas  (idiomas), operação de milagres, curas, visões e novas revelações são desnecessários, e gradualmente cessaram quando as Escrituras do Novo Testamento se completaram e a Sua autoridade foi estabelecida
(Rom. 12:6-8; I Cor. 12:4- 11; Ef. 4:7-12).(II Co 12:12; 1 Cor 13:10).

15 ESCATOLOGIA
 Creio que o fim de tudo há de chegar para todos seja pela morte no presente seja no fim do mundo no futuro. Deus destruirá essa terra e criará um novo céu e uma nova terra onde habitam unicamente a justiça (2 Pe 3:13) e extinguirá dos olhos toda lágrima. A morte não mais existirá e o leão terá paz com a ovelha, juntos se alimentarão e se deitarão (Is 11:6-7; 65:17-25). Haverá harmonia e perfeita paz como Deus planejou no principio e Deus mesmo estará conosco.
Mas para que tudo isso aconteça é necessário a volta do messias para por um fim a todas as coisas. Esse mundo de iniquidade precisa ser julgado e o maligno que o engana precisa ser revelado e desmascarado e derrotado. Tudo isso acontecerá na volata do messias quando este vier buscar os seus e dar início ao fim de tudo.
O arrebatamento de igreja livrará os salvos da condenação dos que não temem a Deus assim que a igreja for arrebatada o anti-cristo assumira o governo físico do mundo, pois o mundo jaz no maligno.
 (1 Co 15.20-23; 1 Ts 4.16), (1 Ts 4.13-18 1 Co 15.50-53), (Dn 7.8; 2 Ts 2.3-4), (Dn 9.27; Mt 24.21-29; Ap 11.2-3; 12.6, 14; 13.5), (Mt 24.37-44; At 1.11; Ap 1.7), (Ap 20.1-6), (Ap 20.11-15) (Ap 21.1-8). (Dn 12.2-3; 2 Ts 1.9; Ap 14.9-11).
 O ARREBATAMENTO  A volta de Cristo é um dos temas que trata a Escatologia. Resumidamente falando, Jesus virá para resgatar os seus. Sua vinda se dará no final dos tempos, de maneira inesperada e marcará a primeira ressurreição e o arrebatamento dos santos. Na bíblia em vários textos é claramente citada a vinda de Cristo, mas não é dito quando será. Assim o crente deve estar preparado pregando o evangelho que Jesus ordenou que pregasse, pois a vida eterna com Deus no novo céu e na nova terra o aguarda. (Mat 24: 29-31; Ap 6:12-17)

A GRANDE TRIBULAÇÃO É um período único na história da humanidade onde o reinado de terror de Satanás se estabelecerá física e completamente por meio de um personagem ilustre o anticristo que reinará durante sete anos sob intensa fustigação da humanidade a ele sujeita pelo Deus verdadeiro.

O MILÊNIO É o período em que se dará o reinado de Cristo fisicamente na terra, por mil anos. Nesse reinado os crentes que ressuscitaram e foram arrebatados retornaram com Cristo para juntamente com ele reinaram sobre a terra e sobre os seres humanos que ficaram, no final desses mil anos Satanás será solto e novamente passará a enganar os seres humanos que pela última vez se rebelaram contra Deus o qual destruirá o mundo com fogo do céu. (Ap 20:1-6)

JUÍZO FINAL Após a destruição da terra e do que havia restado da humanidade após a grande tribulação (2 Pe 3: 10, 12; Ap 20:7-10). Deus exercerá o grande Julgamento final onde reunirá os mortos que estão no inferno e no céu e julgará a todos, porém os crentes não serão condenados.(Ap 20:11)

NOVO CÉU E NOVA TERRA Deus criará novamente a terra e o céu numa grande reforma onde aparentemente os limites entre um e outro serão rompidos e surgirá um mundo celestial onde Deus morará junto com os homens. (Ap 21)

16 VIDA CRISTA
Creio  que as Escrituras ensinam que cada crente pelo auxílio do Espírito Santo, deve andar no amor cristão e na santidade, demonstrando qualidades de honestidade, integridade, perdão, benignidade e espiritualidade. Cremos que qualquer realização neste caso será manifestada por humildade sincera e zelo genuíno para o progresso da Causa de Cristo (II Cor. 7:1; I Ts. 4:7; Ef. 4:8,32; Ef. 5:1,2,7-10, 15-20; I Pe. 5:5-6; Pv. 15:33; Gl. 5:22-25).
17SEPARAÇÃO BÍBLICA

creio que as Escrituras ensinam que o crente deve ser separado para Deus em.
Liberalismo –crei que devemos separar do liberalismo e modernismo, que têm crescido, e em muitos casos, está controlando completamente as denominações (Tt 2:1; I Tm 4:6; II Co 6:14-18; II Jo 10; I Tm 4:2; Jd 13).
MUNDANISMO – creio que devemos manter-nos longe do mundanismo e de associações mundanas, tanto na prática do mundanismo como frequentar locais impróprios, embriaguez, uso e tráfico de drogas, tabagismo, bebidas alcoólicas, nudismo, pornografia, vestimentas não apropriada ao cristão. dança, maledicência, uso de palavras de baixo calão, e coisas similares ( I Ts 5:22; II Co 6:17; Lc 21:34; Tt 21:34; Tt 2:12; Cl 3:2).
IMORALIDADE – considero  falta grave a imoralidade sexual, fora da relação matrimonial, que compreende prostituição, favorecimento a prostituição, fornicação, pedofilia, estupro, homossexualismo, lesbianismo e adultério previsto em lei.
SOCIEDADES SECRETAS COMO A MAÇONARIA – creio que não devemos pertencer a qualquer sociedade secreta ( II Co 6;14; Ex 34:12; I Co 5:4).
SEITAS FALSAS - creio  que devemos tomar uma posição contrária a qualquer erro como praticam: Testemunhas de Jeová, Adventismo do 7º Dia, Mormonismo, Seitas Orientais, Catolicismo Romano, Espiritismo e Seitas Afro-brasileiras, etc. ( II Co 6:14-18).
SEPARAÇÃO DOS IRMÃOS DESOBEDIENTES (II Ts. 3:6; Rm. 16:17,18; I Cor. 5:5,9-13; Mt. 18:15-18; I Tm. 5:20) Separação de todo tipo de pecado e desobediência
Creio que não devemos trabalhar em união ou participar nos movimentos carismáticos pentecostais. Movimento Ecumênico. – creio que não devemos trabalhar em União com o Movimento Ecumênico e nem participar de cultos e reuniões que caracterizem ecumenismo.
18 MINISTÉRIO  PASTORAL
Creio que Quanto à ordenação feminina: creio  que não é bíblica a prática da ordenação, nomeação ou eleição de mulheres para o ministério pastoral e diaconal da igreja local. 1 Co. 14.34-37; 1 Tm. 2.11-14,
Quanto à ordenação de homossexuais: creio que não é bíblica a ordenação dos mesmos ao ministério pastoral e diaconal. Rm.1.27; 1 Co. 6.9; 1 Tm.1.10; 1 Re.14.24.
Quanto à ordenação de divorciados e re-casados: creio que não é bíblica a prática da ordenação e manutenção de obreiros no ministério pastoral nestas condições. I Tim. 3:1-7; Tito 1:6-9.

19 O CASAMENTO 
creio  que Ao tempo da criação da humanidade, Deus estabeleceu o casamento (Mt 19.4-6), o ato solene que promove a união entre um homem e uma mulher, jamais podendo ocorrer entre um crente e um incrédulo (1Co 7.39; 2 Co 6.14-15) ou entre pessoas do mesmo sexo (Lv 20.13; 1 Co 6.9-10), e que implica o surgimento de um novo núcleo familiar, o direito ao desfrute do prazer sexual e a criação de um vínculo que só se dissolve com a morte de um dos cônjuges (Mt 5.32; 19.9; Lc 16.18; Rm 7.2-3; 1 Co 7.10-11, 39; Hb 13.4).
 20 O DIA DO SENHOR
Creio sendo O domingo, dia do Senhor, é o dia do descanso cristão, satisfazendo plenamente a exigência divina e a necessidade humana de um dia em sete para o repouso do corpo e do espírito o advento do cristianismo, o primeiro dia da semana passou a ser o dia do Senhor, em virtude de haver Jesus ressuscitado nesse dia Deve ser para os cristãos um dia de real repouso em que, pela freqüência aos cultos nas igrejas e pelo maior tempo dedicado à oração, à leitura bíblica e outras atividades religiosas eles estarão se preparando para “aquele descanso que resta para o povo de Deus Nesse dia os cristãos devem abster-se de todo trabalho secular, excetuado aquele que seja imprescindível e indispensável à vida da comunidade. Devem também abster-se de recreações que desviem a atenção das atividades espirituais
Gên. 2:3; Êx. 20:8-11; 31:14-17; Is. 58:13,14; Mat. 12:12; Heb. 4:4João 20:1,19,26; At. 20:7; Apoc. 1:10; I Cor. 16:1,2Heb. 4:9-11; Apoc. 14:12,13Êx. 20:8-11; 31:15; Jer. 17:21,22,27; Ez. 22:8; Mat. 12:12

BIOGRAFIA.

A Bíblia Sagrada Sbtb
A Bíblia De Estudo  De Macarthur  Sbb
Teologia Elementar Bancroft
Apostilas Diversas Seibim


Nenhum comentário: