IGREJA&MINISTERIO

AS MARCAS DE UM MINISTÉRIO PASTORAL

Deus é bom por nos dar pastores. O próprio fato de que Deus chama alguns homens para “cuidar da igreja de Deus” (Atos 20:28) prova que a igreja necessita de cuidados. Deus nos dá pastores porque precisamos de pastoreio. Mas o que é esse ministério? Como um pastor pode ministrar ao seu povo, de uma maneira que ele possa expressar o devido cuidado e preocupação por eles? Na semana passada, passei algum tempo estudando os dizeres de Paulo para os anciãos/pastores de Éfeso (cf. At 20.16-38) e percebi em suas palavras uma série de marcas que estão presentes em um ministério fiel.
O ministério do pastor é humilde
Paulo lembrou os líderes da igreja, “Vocês sabem como vivi todo o tempo em que estive com vocês, desde o primeiro dia em que cheguei à província da Ásia. Servi ao Senhor com toda a humildade…” Paulo poderia humildemente dizer que ele lhes tinha servido com humildade. Ele sempre desejara o bem deles e a glória de Deus em vez de seu próprio bem e de sua própria glória. Ele os serviu como um escravo sob o domínio de Deus, desempenhando fielmente o seu ministério. Ele foi um exemplo de abnegação, estimando mais os seus superiores do que si mesmo. O pastor serve humildemente, servindo como Jesus serviu. Um ministério arrogante é o tipo mais destrutivo de ministério.
O ministério do pastor é ousado
Paulo era humilde e sua humildade lhe permitiu ser ousado. “Vocês sabem que não deixei de pregar-lhes nada que fosse proveitoso.” Paulo não apenas sussurrou ou sugeriu o que era verdade. Ele declarou isto. Ele declarou toda e qualquer coisa que seria benéfica para a sua congregação. Ele não reteve nada que fosse bom para o estado de suas almas. Alguns versos depois, ele diz “nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus.” Essa igreja teve tudo isso. Eles tiveram toda a Bíblia, não apenas as partes fáceis ou as partes agradáveis para a cultura circundante. Sua confiança estava em Deus e então ele declarou corajosamente todo o conselho de Deus. Pastores não são chamados para serem populares, mas para serem arautos da verdade.
O ministério do pastor ensina
Paulo lembrou essa igreja que estava “ensinando-lhe em público e de casa em casa.” Haviam duas dimensões públicas e privadas para o seu ministério. Havia um componente de pregação, bem como um componente de ensino ou aconselhamento. Ele pregaria diante de toda a congregação e se reuniria com um indivíduo ou um pequeno grupo. O pastor é, antes de tudo, um ministro da Palavra de Deus e ele é chamado a levar a Palavra ao povo, pregando-a ou ensinando-a. Onde quer que estejam, ele trará a Palavra.
O ministério do pastor é amplo
O ministério do pastor atinge todos os tipos de pessoas e não exclui deliberadamente qualquer grupo. Paulo lembra a igreja que ele testemunhou para ambos, judeus e gregos. Ele pregou a qualquer um e a todos que pudessem escutar. Ele inclusive procurou ativamente diferentes tipos de pessoas. Quem quer que estivesse em seu bairro ouviria o evangelho. Ele sabia que o evangelho é uma boa notícia para todos e queria que todos adorassem juntos em uma igreja, como um só corpo. A notícia era boa demais para esconder de qualquer pessoa.
O ministério do pastor é evangélico
Qual foi o conteúdo da mensagem de Paulo? Quando falou com humildade e coragem, quando ensinou publicamente e em particular, quando foi até os judeus e gentios, o que foi que ele ensinou? “O arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo.” Esse é o evangelho, o evangelho do arrependimento do pecado e da fé em Jesus Cristo. O evangelho de Paulo não era um evangelho social, um evangelho da prosperidade ou qualquer outro falso evangelho desalinhado ou terreno. Era o verdadeiro evangelho. O evangelho todo. O evangelho salvador. Foi a boa notícia que declarou: “Arrependei-vos e crede, e sereis salvos”. O ministério do pastor é um ministério que tem tudo a ver com o evangelho.
O ministério do pastor é puro
Isso é um ponto importante em uma época que o evangelho da prosperidade subiu a tal proeminência. “Não cobicei a prata nem o ouro nem as roupas de ninguém. Vocês mesmos sabem que estas minhas mãos supriram minhas necessidades e as de meus companheiros. Em tudo o que fiz, mostrei-lhes que mediante trabalho árduo devemos ajudar os fracos, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus, que disse: ‘Há maior felicidade em dar do que em receber’”. O ministério de Paulo não era sobre o enriquecimento pessoal. Não era uma questão de ego ou status. Era sobre servir a Deus cuidando do povo de Deus. Ele serviu como uma ilustração viva das palavras de Jesus, “Há maior felicidade em dar do que em receber.” Se a igreja quisesse saber como isso seria na vida real, eles só precisavam pensar nele. Paulo não se opunha a pagar um pastor pelo seu trabalho, mas nesse contexto ele queria demonstrar a essas pessoas o valor do trabalho duro e a beleza de um ministério puro e altruísta. Paulo podia olhar essas pessoas nos olhos e dizer: “Apenas me doei. Eu nunca tomei.” O ministério do pastor é um ministério puro que se preocupa com as almas, não com o eu. O pastor que ama o seu dinheiro odeia a sua alma.
O ministério do pastor é humilde, corajoso e puro. Ele está preocupado com todos os tipos de ensino antes de todos os tipos de pessoas. Seu conteúdo é o evangelho. Esse é o tipo de ministério que cumpre o dever do pastor: cuidar da igreja de Deus que Ele adquiriu com seu próprio sangue.
Traduzido e Adaptado por Gustavo Neves. Link Original aqui.
***************************************************************************************************
7 coisas que o seu pastor não diz pra você
Ser pastor no mundo de hoje é um grande desafio. Muitos nos julgam por verem pastores na televisão, outros pelo seu pastor anterior. A maioria não entende o que realmente o pastor faz. Por isso segue algumas coisas que ele não diz pra ninguém.
1.      Eu não trabalho apenas nos finais de semana.
Há uma infinidade de responsabilidades no trabalho de um Pastor que exigem muito mais tempo e trabalho duro do que nos finais de semana. Desde a preparação do sermão, pois a mensagem não aparece espontaneamente na cabeça do pastor, treinamento para a liderança, aconselhamento para jovens, adultos, casais, visitação, estudos bíblicos e etc. Os pastores trabalham duro durante a semana e aos finais de semana.
2.      Estou disponível 24 horas por dia, 7 dias da semana.
Muitas vezes o pastor coloca a sua vida pessoal em espera para cuidar dos membros da igreja. É fácil ver ele no hospital até horas da noite ou logo cedo depois de uma chamada telefônica de uma esposa que pede para o pastor conversar com seu marido. A qualquer momento ele é chamado para resolver quase qualquer coisa. E dificilmente se pensa no horário ou na vida privada do pastor.
3.      Casar, e até fazer o velório, é como levar um pedaço de mim embora.
Às vezes o pastor tem que enterrar um amigo de longa data e isso é doloroso demais. Outras vezes, ele tem que trabalhar num casamento que está a beira do divórcio, e isso é muito duro, pois foi ele mesmo que deu a bênção no dia da cerimônia. Se não cuidar do lado emocional é fácil cair em depressão ou ter uma vida com alto stress.
4.      Ser um Pastor é ter quase sempre uma vida solitária.
Devido a natureza do trabalho, as vidas sociais, emocionais e espirituais do pastor estão muito interligadas. E por isso, é difícil encontrar um amigo para se ter uma boa amizade. O pessoal de fora da igreja não entende o seu verdadeiro trabalho e os de dentro podem não entender como o pastor também precisa desabafar ou demonstrar suas fraquezas. Há coisas precisa desabafar, mas não pode, devido estar numa posição de liderança espiritual.
5.      Eu sou criticado e julgado quase todo dia.
A maioria dos pastores são colocados num pedestal pelos membros de sua igreja. E todos tem uma alta expectativa dele. Tudo nele é analisado. Se prega bem, se visita bastante. Se é humilde, se gasta demais, se tem carro bom, se lava o carro, se não lava o carro. Se anda bem vestido, se não anda bem vestido. As fofocas correm soltas de tudo o que ele faz. É difícil deixar todos felizes.
6.      Às vezes eu quero falar sobre assuntos que não são de igreja.
Acredite você ou não, a maioria dos pastores também tem seus hobbies e gostam de falar desse assunto. Almejam curtir um pouco a vida fazendo o que gostam, por isso querem sair com um amigo para praticar o seu hobby. Isso não é pecado e faz muito bem para a alma.
7.      Eu não tenho todas as respostas.
Surpresa! Sim, pastores foram para a escola e estudaram a Bíblia e continuam a estudar todos os dias para o seu trabalho. Sim, todos oram por sabedoria e orientação diária. Mas, mesmo assim, os pastores ainda continuam sem serem onisciente. Não sabem todas as coisas. E isso não o faz ser um pastor desqualificado para a sua igreja.
Da próxima vez que encontrar o seu pastor agradeça-o por estar se dedicando a ser um ministro de Deus.
Se você souber mais coisas que o seu pastor não diz para você, acrescente nos comentários.


******************************************************

Nenhum comentário: